terça-feira, 19 de novembro de 2013

O fim: Formula 3 Sul-americana (1987-2013)

Sim amigos, depois de 27 temporadas, a Formula 3 Sul-americana como conhecemos irá acabar. Mas calma, não significa que não teremos mais a categoria de base no Brasil.

Isso porque a Vicar — talvez cansada de dar murro em ponta de faca —, resolveu transformar a F3 em uma categoria nacional, passando a se chamar F3 Brasil em 2014.

Concordo muito com a atitude, quem acompanha a categoria sabe que a ela se tornou mais uma categoria brasileira do que sul-americana nos últimos tempos, devido a baixa procura de pilotos não-brasileiros.

De 2008 a 2013 — apenas 14 pilotos estrangeiros passaram pela categoria —, além de que a maiorias das provas eram realizadas nas pistas nacionais. Em tempos de crise financeira no mundo todo, ter provas na Argentina e Uruguai afugentava as equipes pequenas que sempre suaram para participar das corridas com um orçamento apertadíssimo.

Nasce então uma expectativa de dias melhores, com a possibilidade de conseguir um bom patrocinador, tendo em vista que é mais fácil conseguir um acordo para uma categoria nacional do que Sul-americana.

Novamente, a Vicar está de parabéns. Não há motivos para ficar ostentando a marca Sul-americana se os pilotos, equipes e empresas de fora não estão nem aí para a categoria.

Ainda não sei se a Formula 3 Sul-americana deve acabar de vez. Talvez exista uma remota possibilidade da Codasur reciclar alguns chassis e tocar o campeonato por sua própria conta, o que seria bem difícil, pois acredito que equipes como Cesário Formula, Hitech Racing, Kemba Racing e RR Racing vão optar pela categoria nacional.

Um comentário:

  1. Na verdade acho ruim e muito essa decisão...até por que vi a propria vicar negando...o gp classico de piriapolis no uruguai abandonado....assim como as corridas de buenos aires e paraná, bem, como comercialmente não é mais viavel, e os hermanos entraram na crise, e não apareceu nenhum salvador "dos formulas" do lado de lá, virou isso. tenho medo apenas que nos finalmente a f3 brasileira, mingue, como aconteceu na outra vez que tentaram nos anos 90 e não deu certo.

    ResponderExcluir