sexta-feira, 8 de março de 2013

O mínimo que se espera...

Hoje a noite eu parei para assistir a corrida do meu amigo Jeferson Rafael em uma categoria de Fórmula Indy em uma liga no qual prefiro não citar nome e fiquei sinceramente muito decepcionado com as condições no qual os pilotos estavam correndo. Com o lag do servidor os carros ficam zig-zagueando e isso em uma corrida de Indy em um oval é um absurdo. O piloto não tem segurança de ir para cima, ficar lado a lado com o outro carro sem ter medo de ser acertado e ir pro muro. Hoje em 20 minutos de prova vi 3 acidentes por esse problema, inclusive o próprio Jeferson Rafael foi acertado por causa desse lag. Mas por que eu estou fazendo esse post? Porque o minimo que se espera de uma liga que se tornou uma das maiores da América Latina é que se invista em infra-estrutura. Com o tanto que a liga recebe de piloto e o valor de suas inscrições durante uma temporada eu acredito que seria sim possível disponibilizar um servidor com melhor qualidade para os pilotos do clube. No Brasil já corri em duas fornecedoras de servidores diferentes e não me estressei com qualquer lag que fez eu tocar um piloto ou que me prejudicasse. Aqui no Brasil temos a Pratikk que já forneceu servidores para a BlasterF1 e que fornece hoje em dia para a 3WideClub e Virtual Racing Club. Outra liga que usa servidores nacionais é a rFactor Brasil Team que usa os servidores da Amazon. Por mais que os servidores nacionais possam ser um pouco mais caros que os americanos, eu acredito que a liga poderia sim investir neles com o tanto que eles arrecadam de inscrições em apenas 1 temporada que chega a ser mais do que 10 mil reais. Pra se ter ideia durante o ano se tem 3 temporadas, em uma visão mais otimista o "lucro" se é que se pode dizer é de 30 mil reais por ano, nenhum servidor nacional custa R$ 10,000 por temporada, muito pelo contrário, se superar R$ 1300,00 reais por ano é muito. Sem contar que a qualidade oferecida por um servidor nacional é muito maior que os internacionais que tem o ping acima de 200 ms enquanto os nacionais  raramente superam os 100 ms. O post é uma crítica construtiva ao clube, que por mais que possa haver um contrato com a fornecedora de servidores atuais, deveria repensar sobre a qualidade deles para poder assim subir o nível de qualidade tanto das corridas que não serão atrapalhadas por esse lag e também das transmissões que não terão carros entrando dentro de muros ou atravessando os carros dos adversários.

Adendo 1: Alguns pilotos do clube vieram conversar comigo sobre o assunto. Alguns relataram que não há lag no servidor durante a corrida e o que se vê nas transmissões seria o lag do replay instantâneo. 

4 comentários:

  1. Eu acho isso um desrespeito pra quem paga um campeonato caro desses, esperando se divertir e quando ve cai do servidor ou é atingido por alguem que ta com ping alto, acho isso um absurdo, espero que a Liga F1BC (F1 Brasil Clube) tome providencia quanto a isso, pois não é de hoje que vejo amigo meu ou alguem conhecido reclamando do ping alto de la.

    ResponderExcluir
  2. Então a liga gera pressões? é intimidação isso?
    piora a situação ainda

    ResponderExcluir
  3. "Com o tanto que a liga recebe de piloto e o valor de suas inscrições durante uma temporada eu acredito que seria sim possível disponibilizar um servidor com melhor qualidade para os pilotos do clube."

    Não te conheço, mas se pensas que é fácil assim, crie uma com servers brasileiros, que se dará bem!!

    Boa sorte!

    o/

    ResponderExcluir